Tecnologia do Blogger.
terça-feira, 27 de março de 2018

Intervenção artística conceitual de Felipe Parra abre os encontros de 2018 do MidCid


A proposta desse ano do grupo é discutir 
“A Cidade depois do Fim do Mundo”



A primeira reunião do Grupo de Pesquisa Mídia, Cidade e Práticas Socioculturais (MidCid) aconteceu nesta segunda-feira, dia 26 de março. Felipe Parra, publicitário e mestre em Comunicação e Cultura pela Uniso, iniciou o encontro exibindo uma experimentação artística sobre o que está fora do fluxo do tráfego da cidade. Em formato de vídeo, intitulado Contramão, o pesquisador propôs sair da lógica mercadológica e apresentar um olhar minucioso de como a cidade se movimenta.



Nos centros urbanos tudo é muito acelerado; há a ausência da pausa, segundo Parra. Por isso, torna-se interessante observar com mais atenção o que está escondido. “Na cidade, tudo acontece simultaneamente, e ter um olhar cuidadoso é dar novos significados, captar diferentes sinais”, afirma.

Para a intervenção, que é um desdobramento da sua dissertação de mestrado defendida em 2016, o pesquisador trabalhou com a imagem em ponto fixo. “É a intenção de retratar a pausa e, ao mesmo tempo, perceber a cidade. A presença pela não presença. É o sentir, não necessariamente o ver”.

Na reunião, o professor Doutor Paulo Celso da Silva, do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura da Uniso, também falou sobre as atividades a serem desenvolvidas ao longo do ano a partir da proposta temática “A Cidade depois do Fim do Mundo”. Serão assuntos que permitem repensar valores, discussões e reflexões a respeito das possibilidades ou alternativas à realidade contemporânea.


Para conferir a experimentação de Felipe Parra, assista ao vídeo abaixo.